Quatro autores deixam agência literária de J.K. Rowling após polêmicas

Quatro autores deixam agência literária de J.K. Rowling após polêmicas | Ordem da Fênix Brasileira
Quatro autores se demitiram da agência literária de J.K. Rowling, depois de acusá-la de não emitir uma declaração pública em apoio aos direitos e à igualdade entre os transgêneros. As informações são do The Guardian.

Fox Fisher, Drew Davies e Ugla Stefanía Kristjönudóttir Jónsdóttir (também conhecida como Owl Fisher) emitiram uma declaração conjunta para anunciar suas demissões da The Blair Partnership. Um quarto autor, que preferiu permanecer anônimo, também se demitiu.

Rowling foi criticada pelos comentários considerados transfóbicos que fez no Twitter e escreveu um ensaio, publicado em seu site pessoal, expressando "profundas preocupações" sobre o ativismo transgênero.
"Esta decisão não foi tomada facilmente, e estamos tristes e desapontados por ter chegado a isso", diz a declaração dos autores. "Após os comentários públicos de J.K. Rowling — que também assina com a agência — sobre questões de transgêneros, entramos em contato com a agência com um convite para reafirmar sua posição em relação aos direitos e à igualdade de transgêneros. Após nossas conversas, sentimos que eles não podiam se comprometer com nenhuma ação que julgássemos apropriada e significativa. A liberdade de expressão só pode ser mantida se as desigualdades estruturais que impedem a igualdade de oportunidades para grupos sub-representados forem desafiadas e alteradas."
Owl Fisher, co-autora de "Trans Teen Survival Guide" ("Guia de Sobrevivência do Adolescente Trans", em tradução literal), disse estar satisfeita com a The Blair Partnership em nível profissional, mas sugeriu que a agência conduzisse um treinamento da equipe com o grupo All About Trans, que promove vozes trans nos meios de comunicação, porém "esses pedidos não foram atendidos positivamente pela gerência".

Um porta-voz da The Blair Partnership emitiu o seguinte comunicado:
"Apoiamos os direitos de todos os nossos clientes de expressar seus pensamentos e crenças e acreditamos na liberdade de expressão. A publicação e as artes criativas dependem dessas coisas. É nosso dever, como agência, apoiar todos os nossos clientes nessa liberdade fundamental e não comentamos suas opiniões individuais."

"Estamos desapontados com a decisão que quatro clientes tomaram para se separarem da agência. Para reiterar, acreditamos na liberdade de expressão para todos; esses clientes decidiram sair porque não atendemos às demandas de reeducação do ponto de vista deles. Respeitamos o direito deles de seguir o que eles consideram o curso de ação correto."

"Valorizamos a voz de todos os autores e, como agência, defendemos a igualdade e a inclusão. Continuamos comprometidos em tornar a agência o ambiente mais acolhedor que possa ser para todos. A diversidade das vozes de nossos clientes é a nossa força e temos um enorme orgulho de cada um."
Em seu perfil no Twitter, no começo do mês, Rowling se envolveu em uma polêmica ao publicar diversos comentários considerados transfóbicos após compartilhar sua opinião sobre menstruação. Ela publicou que discorda de um artigo intitulado "Criando um mundo mais igualitário pós-Covid-19 para pessoas que menstruam", sugerindo que as autoras deveriam ter usado a palavra "mulheres". Muitos críticos apontaram que as visões de Rowling igualavam feminilidade à menstruação, enquanto muitos homens transsexuais menstruam, e muitas mulheres, não.

Daniel Radcliffe (Harry Potter) respondeu aos comentários da autora britânica dizendo que "mulheres trans são mulheres". Rupert Grint (Rony Weasley) e Bonnie Wright (Gina Weasley) se juntaram a ele, assim como Emma Watson, Evanna Lynch e Eddie Redmayne também se posicionaram em defesa à comunidade trans.

[+] Equipe de editora responsável por "O Ickabog" está relutante em trabalhar no projeto após comentários de J.K. Rowling — leia mais.