"Cancelados": J.K. Rowling, Johnny Depp e outras personalidades estampam capa da revista Veja

A autora J.K. Rowling e o ator Johnny Depp estampam a capa da última edição de Veja, publicada na semana passada, onde estão ao lado de diferentes personalidades que foram "canceladas" nos últimos anos através das redes sociais.

'Cancelados': J.K. Rowling, Johnny Depp e outras personalidades estampam capa da revista Veja | Ordem da Fênix Brasileira

A matéria especial contém seis páginas sobre o assunto, e destacamos abaixo os trechos que tratam especificamente das polêmicas envolvendo Rowling (considerada "transfóbica") e Depp (acusado de agressão à ex-mulher, a atriz Amber Heard):
Barracos íntimos representam outro barril de pólvora bastante comum para iniciar um julgamento mundial, em que todos se sentem autorizados a dar seu veredicto. O astro Johnny Depp acabou sendo cancelado em razão de seu mau comportamento conjugal, vindo à tona na batalha que trava com a ex Amber Heard.

(...)

No âmbito global, nenhum caso recente sintetiza de maneira tão lapidar a erosão provocada pelas campanhas de cancelamento quanto a confusão em que se meteu J.K. Rowling. Além de ser dona da franquia Harry Potter, com mais de 500 milhões de livros vendidos, a escritora construiu a imagem da mulher que venceu pelo talento e canaliza seu sucesso para o proselitismo de ideias "do bem". Mas tudo foi posto em xeque por uma celeuma iniciada semanas atrás, quando ela tuitou um artigo que dava a entender que o termo "mulher" só poderia ser aplicado ao gênero biológico. Foi atacada como "transfóbica" por milhares de fãs, que se sentiram traídos pela pessoa que enaltece em seus livros valores como o respeito à diferença. Os próprios atores dos filmes de Harry Potter, com Daniel Radcliffe à frente, repudiaram a autora. A balbúrdia ameaça agora a continuidade da franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam, que tem envolvimento direto de J.K. Rowling.

Ao mesmo tempo que sua imagem era carbonizada nas redes, a escritora engrossava o cordão de 150 intelectuais, artistas e autores que, há três semanas, lançaram um manifesto contra a cultura do cancelamento. A carta publicada pela revista Harper's condena o clima de Inquisição moderna que tomou conta do debate público atual, no qual reinam "a intolerância com opiniões divergentes, uma onda de execração pública e ostracismo, e a tendência de dissolver assuntos complexos em certezas morais cegas". É significativo que a denúncia dos males do cancelamento tenha unido uma gama variada de pensadores: negros e brancos, homens e mulheres, gente de esquerda e de direita.
A matéria na íntegra pode ser lida através do site da Veja.

[+] J.K. Rowling e Margaret Atwood estão entre as mais de 150 celebridades que assinaram uma carta contra a "cultura do cancelamento" — leia mais.