/Pottermore

Nossa conta no Pottermore | Ordem da Fênix Brasileira
Também estamos no Pottermore! Clique no brasão acima e seja nosso amigo.

Crítica de "Animais Fantásticos e Onde Habitam" #7

Postado por quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Crítica de 'Animais Fantásticos e Onde Habitam' #7 | Ordem da Fênix Brasileira
Efeitos agem contra a fábula em "Animais Fantásticos"
Por Cássio Starling Carlos | Folha de S.Paulo


Existe uma fórmula para criar uma franquia no cinema? Junte um universo de fantasia, inclua uma assinatura cultuada e entupa de efeitos mirabolantes.

Como toda receita, para dar certo é preciso alguma alquimia –um toque de personalidade ou originalidade.

Os zilhões de fãs de Harry Potter certamente recompensarão os custos exorbitantes de "Animais Fantásticos e Onde Habitam", expectativa que se mede pelas quatro continuações em pré-produção.

Afinal, combina a adaptação de um livro de feitiçaria, complemento das aventuras do bruxinho; o nome de J. K. Rowling como autora e roteirista; e a aparição de bichos, fofos ou ameaçadores, em ritmo de montanha-russa.

No lugar da Inglaterra de ar gótico, a história se passa numa Nova York recriada digitalmente como uma Gotham City dos avós do Batman.

O cenário importa menos do que o combate entre as forças do bem e do mal — ou entre bruxos que só querem fazer seu trabalho e os trouxas obcecados em exterminá-los.

A chegada de Newt Scamander (Eddie Redmayne interpretando ele mesmo), que traz na mala um zoo sobrenatural, dispara situações absurdas e põe em risco a sobrevivência discreta dos diferentes.

O primeiro problema do filme é apresentar os personagens o suficiente para criar empatia definindo quem pertence a qual lado. Enquanto as naturezas de Newt e Porpentina têm certa nitidez, as faces de Percival e de Credence, essenciais à trama, perdem-se na obscuridade.

O segundo consiste na falta de unidade orgânica entre efeitos e progressão da trama. A cada aparição fantástica, a história trava para que uma espécie faça seu número.

O maior problema, contudo, é a inevitável comparação com a série "Harry Potter". A ausência de um imaginário infantil e da dimensão competitiva da adolescência dificulta o alcance do mesmo patamar de identificação.

Talvez isso se resolva nas continuações, mas a primeira impressão é a de um contraste excessivo entre a evolução dos efeitos visuais e a regressão da fábula.





COMPARTILHE




Publicidade

Related Posts with Thumbnails


Deixe seu comentário

comentários
Nenhum comentário

Postar um comentário

::

/Bruxo do Mês

Bruxo do Mês de Junho: Remo Lupin | Ordem da Fênix Brasileira
Remo Lupin era da Grifinória quando estudava em Hogwarts. Também foi monitor de sua Casa.

Pertencia à Ordem da Fênix. Foi um dos quatro Marotos (juntamente com Tiago Potter, Pedro Pettigrew e Sirius Black) e foi o último deles a morrer. Remo Lupin também era lobisomem.

Lupin era casado com Ninfadora Tonks, com quem teve um filho, Ted. O padrinho de Ted é Harry Potter.

Lupin e Tonks morreram na Batalha de Hogwarts em 1998.

[Continuar lendo...]


/Seções

Receitas da MollyTirinhas da LunaArthur ExplicaDownloads Harry Potter

/Compartilhe



/Especiais

Guarde suas lembranças na Penseira | Ordem da Fênix Brasileira
Podemos ler a sua mente. Duvida? | Ordem da Fênix Brasileira
Predições da Professora Trelawney | Ordem da Fênix Brasileira
Descubra o valor das moedas mágicas em nosso mundo | Ordem da Fênix BrasileiraLeia todas as novidades sobre o Pottermore | Ordem da Fênix Brasileira

/Conteúdo

/International

ItalianJapaneseDeutschFrançaisChineseEnglishPortuguêsEspañolEnglish

/Status

/Divulgue

Ordem da Fênix Brasileira | Visite!