Leia matéria especial sobre "Relíquias da Morte - Parte 2" publicada pela Entertainment Weekly

Leia matéria especial sobre 'Relíquias da Morte - Parte 2' publicada pela Entertainment Weekly | Ordem da Fênix BrasileiraMatéria sobre o último filme da série "Harry Potter"
Entertainment Weekly
O Grande Salão – a cafeteria da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts – é o cenário mais antigo em pé dentro dos Estúdios Leavesden, a fria fábrica dos filmes Harry Potter nos arredores de Londres. Muito drama foi encenado dentro de suas altas paredes de pedra ao longo da última década, desde o ritual do Chapéu Seletor até o intrigante Cálice de Fogo. Mas esses dias estão contados. Em uma triste tarde de março de 2010, o salão de fábulas está vendo alguns de seus momentos finais de ação, assim como um dos seus personagens, Severo Snape.

Estamos presenciando a primeira salva da batalha de Hogwarts – o começo do ato final de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2. As longas mesas e os bancos do Salão Principal foram postos num canto para Harry Potter (Daniel Radcliffe) e um pequeno exército de aliados – incluindo Hermione Granger (Emma Watson) e a Professora McGonagall (Maggie Smith) – lutar com Snape (Alan Rickman), o aparentemente asqueroso professor de poções. O trabalho do dia envolve Radcliffe e Rickman trocando xingamentos e ameaças irônicas, e os dublês de Rickman e Smith em um duelo de varinhas, que lembra um jogo de esgrima olímpica. As filmagens duraram até tarde da noite. Quando terminou sua parte, um Rickman emocionado silenciosamente recebe os aplausos do elenco e da equipe e rapidamente sai sem comentar.

Durante um intervalo, Radcliffe senta na cadeira de Alvo Dumbledore na mesa principal e balança sua cabeça em descrença. "O último dia de Alan Rickman. Bizarro," ele diz. "Durante anos, nós pensamos: 'Nunca vai terminar!'. Agora a ficha está caindo." Com os seus dias de menino bruxo chegando ao fim, o jovem ator diz que um dos maiores desafios ao filmar o último Harry Potter foi apreciar o momento e levar como algo normal. "Tornei-me particularmente consciente de que nesse filme nem sempre vou ser capaz de interpretar essas partes do tipo herói," ele diz. "Você realmente tem que aproveitar, aproveitar o máximo, se divertir com isso."

Os fãs de Harry Potter também devem abraçar esse pensamento, porque é isso, amigos. O fim. O clímax da maior franquia de filmes da história de Hollywood (lucro total doméstico de $2 bilhões), e o movimento final de um fenômeno cultural que começou no Reino Unido em 1997 com o lançamento do primeiro livro de Harry Potter por J.K. Rowling. A Parte 2 – adaptação da segunda metade do sétimo livro, publicado em 2007 – mostra Harry, Hermione e Rony (Rupert Grint) se preparando para a luta contra o ofídico Lorde Voldemort (Ralph Fiennes) depois de tanto fugir na Parte 1. A produção estimada em mais de $200 milhões, Relíquias da Morte – Parte 2 começa onde a Parte 1 terminou, com Voldemort roubando a Varinha de Salbugueiro do túmulo de Dumbledore, uma das três Relíquias da Morte que podem torná-lo imortal. Enquanto isso, Harry e seus amigos sofrendo com a morte heróica do elfo doméstico Dobby, estão em busca de objetos mágicos chamados Horcruxes que contém fragmentos da alma de Voldemort. A busca os traz de volta a Hogwarts, agora dirigida por Snape após a morte de Dumbledore há alguns filmes atrás. "O novo filme é um filme de ação implacável," diz Radcliffe. "Simplesmente. Não. Pára".

Ok, pára por alguns momentos – para alguns dos momentos mais importantes emocionalmente da saga. Uma reunião fantasmagórica de amigos e familiares que já morreram. Um encontro no limbo com o espectro de Dumbledore (Michael Gambon), que revela segredos obscuros de seu passado. E, é claro, o beijo de Rony e Hermione. "Tem que ser o momento mais esperado entre os dois na série," afirma Watson. "No geral, porém, a Parte 2 é simplesmente um inferno e assustadora. Eu tive que acionar a minha Lara Croft."

Ambas as partes de Relíquias da Morte foram gravadas simultaneamente por 261 dias. Alguns Pottermaníacos vão notar algumas mudanças na história de Rowling. Os cineastas acrescentaram uma nova estrutura em Hogwarts – uma casa dos barcos de vidro, onde um certo personagem icônico morrerá. (Dica: no livro, a cena acontece na Casa dos Gritos). O confronto final entre Harry e Voldemort – uma batalha de varinhas no livro – foi expandido para uma caça por Hogwarts e uma batalha física onde os inimigos aparatam em direção e para longe um do outro. Em certo ponto, os dois rivais parecem se fundir, criando um efeito visual arrebatador.

Uma das sequências mais difíceis para os produtores foi o Epílogo do filme, que acontece 19 anos após os heróis deixarem Hogwarts. O diretor David Yates filmou primeiro a cena no meio da produção, com os atores jovens usando maquiagem para parecerem com versões adultas deles mesmos. "Eu não quis atores mais velhos," disse Yates. "Se você passou sete filmes com esses caras, você conhece essas crianças, você quer acabar com eles." Mas olhando o material gravado, ele sentiu que o epílogo ficou pobre em magia. "Nós terminamos com uma cena que, por várias razões, não apenas a maquiagem, não funcionou bem," diz ele. Então em dezembro passado, meses depois do fim das filmagens, Yates chamou os atores de volta para uma re-filmagem. "Nós viemos com uma solução bem simples – uma maquiagem simples, que pode ser melhorada com efeitos especiais – é realmente encantador." De acordo com o produtor David Heyman, o novo epílogo também levou a uma mudança na parte do filme que acontece durante os créditos finais. "Pensamos em um olhar nostálgico para trás e em como as crianças cresceram ao longo dos filmes anteriores," disse o produtor. "Decidimos contra isso porque o final captura tudo isso."

De todos os momentos de Relíquias da Morte – Parte 2, o que pode exalar mais fortemente o sentimento de encerramento vem logo antes do epílogo, quando Harry, Rony e Hermione estão numa ponte fora de Hogwarts, olhando para a escola. "Eu gosto muito disso porque não foi apenas os atores fazendo a cena, foi as crianças refletindo sobre como cresceram nesse mundo cinematográfico, e eu creio que um pouco disso tudo acabou nesse [filme]," disse Yates. "Para qualquer um que conheça eles ou que possa se identificar com esses três, como personagens ou atores, é muito tocante."

Agora estão todos seguindo em frente – na vida adulta e em novos projetos. Apenas um ano após saborear seu momento como herói de ação dentro do Salão Principal, Radcliffe está cantando e dançando na Broadway no sucesso de críticas How To Succeed in Business Without Really Trying - e Harry Potter já parece estar no espelho retrovisor do ator. "O meu período de luto já veio e já passou," disse Radcliffe para a EW no mês passado. "O final de Harry Potter é excitante à sua maneira… é um [novo] começo para mim." Para o resto de nós, a formatura ainda está há alguns meses de distância.
comments powered by Disqus